O dia 12 de novembro é conhecido por ser o Dia Mundial de Combate à Pneumonia. Muitas vezes, a doença é confundida com uma gripe normal e é por isso que é importante estar atento especialmente aos momentos de epidemia. Essa é a enfermidade que mais mata crianças com menos de cinco anos por todo o mundo.

A Pneumonia é uma infecção dos pulmões que provoca a inflamação dos sacos de ar de ambos ou de apenas um. Pode ser provocada pela invasão de algum agente infeccioso, como as bactérias e os fungos. Geralmente, o pulmão é preenchido por um fluído, derivado da inflamação, e por isso surgem dificuldades para respirar.

Os sintomas costumam ser muito semelhantes aos da gripe. “Os principais sintomas da pneumonia incluem: febre, dificuldade respiratória, falta de ar e tosse. Podendo ser uma tosse seca ou com expectoração”, afirma o médico do Hospital Estadual de Jaraguá (HEJA), Hermelino Rodrigues Maia.

Essa semelhança com a gripe muitas vezes faz com que o paciente demore a buscar atendimento médico. “Os pacientes com pneumonia chegam ao Hospital, em geral, com quadros avançados. A maioria das pessoas acaba interpretando os sintomas como os de uma simples gripe. O aconselhado é que caso os sintomas persistam ou você tenha suspeitas de Pneumonia, vá até o Hospital mais próximo o mais rápido possível”, alerta Hermelino.

 

Prevenção

A vacinação é uma das melhores formas de prevenção. Ela pode prevenir a pneumonia em crianças, idosos ou doentes crônicos. A vacina contra a gripe também pode ajudar a prevenir a pneumonia, uma vez que esta infeção acontece muitas vezes como complicação da gripe.

Para se prevenir da doença, também é preciso presar por uma boa alimentação. Afinal, o que ingerimos é decisivo para a nossa saúde. Outras medidas indicadas são a ingestão de líquidos e evitar aglomerações em época de surto.