Previna-se

Embora o câncer de pele, ou melanoma, represente apenas 4% dos casos de câncer, ele é um dos mais graves. Os casos têm aumentado a cada ano, chegando a 6 mil novos casos de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA).

Causas e prevenção

O melanoma ocorre quando algo dá errado nas células produtoras de melanina (melanócitos) que dão cor à pele. O melanoma extensivo superficial é o tipo mais comum.

Ele geralmente é plano e irregular, quanto ao formato e à cor, e ocorre em tons diferentes de preto e marrom. Ele pode se manifestar em qualquer idade ou região do corpo e é mais comum em pessoas de pele branca.

A melhor forma de prevenção é tomar cuidados na hora de se expor ao sol. Evite os horários entre 10h e 16h e utilize protetor solar. Também é importante verificar alterações ou aparecimentos de manchas e pintas.

Regras para identificação de sinais de perigo

Para auxiliar na identificação dos sinais perigosos, dermatologistas desenvolveram uma metodologia chamada de regra ABCDE. Desconfie do melanoma se uma pinta ou mancha apresentar:

  • Assimetria: uma metade da pinta ou mancha é diferente da outra parte;
  • Borda: as bordas são irregulares, entalhadas ou dentadas;
  • Cor: muitas vezes apresentam cor desigual. Tons de preto, marrom e canela ou áreas brancas, cinza, vermelha ou azul podem estar presentes;
  • Diâmetro: o diâmetro é maior que 5 milímetros;
  • Evolução: uma pinta ou mancha vem mudando de tamanho, forma, cor, aparência ou coçando ou sangrando.

Atenção: há ainda melanomas que não se enquadram nas regras acima descritas. Por isso, é importante informar ao médico quaisquer alterações em lesões de pele ou novas lesões de aparência diferente do restante das pintas existentes.